Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Missão em Timor

Durante 3 anos estarei a fazer uma missão em Timor, pela Ordem dos frades menores capuchinhos, e neste blog tenciono contar todas as minhas aventuras e a percepção que vou tendo dos acontecimentos, tudo de uma forma peculiar que só eu sei viver :D


Sexta-feira, 11.07.14

A ginástica do brinde

Olá amiguinhos! Estou de volta. Os dois meses de silêncio não se deveram a férias, quem me dera, foi mesmo devido ao excesso de actividades e também aos cortes de electricidade que aconteciam precisamente quando tinha uma tarde livre. {#emotions_dlg.snob}

 

Após eu ter encharcado as noviças das irmãs Concepcionistas e as ter picado todas durante as limpezas do local onde se irá realizar o curso de catequese, na última semana de Julho, chegou um dia muito esperado na fraternidade, o aniversário do frei Fernando. Foi já a meio do curso, no dia 25, e como a fraternidade só estaria toda junta à hora do jantar, foi precisamente nessa hora que se comemorou a festa.

Como responsável maior da missão capuchinha em Timor, superior da fraternidade, mestre de pós-noviços e nosso “pai” de família, o frei Fernando teve uma festa em grande. O bolo foi comprado, o jantar fomos todos que preparamos. Como convidados tivemos a fraternidade de Laleia, que compareceu toda, os missionários leigos, que na altura era só a Joana, e 3 catequistas que estavam a dormir na nossa casa para poderem participar no curso.

 

Fui eu o protocolo. Foi um enorme desafio, primeiro porque eles são muito organizados nestas coisas de aniversários, tal como já vos relatei nos aniversários anteriores, e segundo, porque os discursos foram em tétum e eu no final de cada discurso tinha que dar um resumo do que foi dito… mas lá me safei, até porque os discursos não variaram muito, todos elogiaram a entrega incansável do frei Fernando à missão, à comunidade de Tibar e à fraternidade. Um frade que não nega ajudar o próximo e que não sabe perder tempo, está sempre a trabalhar. Um exemplo para mim e para a fraternidade de Tibar que tem o prazer de o ter como nosso superior. Como não podia deixar de ser a festa teve brinde. Fui eu o organizador e voz de comando. O brinde foi assim: Todos com o copo de champagne cheio na mão direita já previamente levantada e comecei eu as ordens, devagar para que os timorenses pudessem perceber a brincadeira. As vozes de comando eram:

Vai a cima:

Vai a baixo:

Vai ao centro:

Tchim tchim:

Dá a volta:

 

Vai à esquerda e vai à direita:

 

 

 

 

Cheirar:

Vai à barriga – Levar o copo à barriga, mas da parte de foratrás das costas

Esconder– Esconder o copo atrás das costas

Saborear – molhar os lábios

Mete para dentro:

E lá comecei a dar as ordens de vagar: “vai a cima, vai a baixo, vai ao centro………….” E voltei a repetir, mas já mais rápido “vai a cima, vai a baixo, vai ao centro………….” E depois de ter confirmado que todos percebiam recomecei , mas mais acelerado “vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai à esqueda, vai a baixo, vai a cima, vai à direita, vai ao centro, dá a volta, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai a barriga, vai a cima, vai a baixo, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro e cheira…………………………………….” “Vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai à esqueda, vai a baixo, vai a cima, vai à direita, vai ao centro, dá a volta, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai a barriga, vai a cima, vai a baixo, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro e esconde atrás das costas……………………………………………..” “Vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai à esqueda, vai a baixo, vai a cima, vai à direita, vai ao centro, dá a volta, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai a barriga, vai a cima, vai a baixo, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro e saboreia………………….” Foi aí que olhei para os catequistas e: “hein, hein, hein, koko deit, koko deit, la’os atu hemu hotu….” (trad: Espera, espera, espera, é só para saborear, não é para beber tudo já…)… e cansado de usar a mão direita troquei para a esquerda e recomecei “Vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai à esquerda, vai a baixo, vai a cima, vai à direita, vai ao centro, dá a volta, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai a barriga, vai a cima, vai a baixo, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro e cheira…………………………………….” “Vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai à esquerda, vai a baixo, vai a cima, vai à direita, vai ao centro, dá a volta, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai a barriga, vai a cima, vai a baixo, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro e esconde atrás das costas……………………………………………..” “Vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai à esquerda, vai a baixo, vai a cima, vai à direita, vai ao centro, dá a volta, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai a barriga, vai a cima, vai a baixo, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro e saboreia………………….” E desta vez todos só saborearam… e como um brinde não se faz com a mão esquerda (regra minha) voltei a trocar as mão e recomecei: “Vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai à esquerda, vai a baixo, vai a cima, vai à direita, vai ao centro, dá a volta, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai a barriga, vai a cima, vai a baixo, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro e cheira…………………………………….” “Vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai à esquerda, vai a baixo, vai a cima, vai à direita, vai ao centro, dá a volta, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai a barriga, vai a cima, vai a baixo, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro e esconde atrás das costas……………………………………………..” “Vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai à esquerda, vai a baixo, vai a cima, vai à direita, vai ao centro, dá a volta, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro, vai a barriga, vai a cima, vai a baixo, vai a cima, vai a baixo, vai ao centro e vai para dentro………………….” E finalmente bebemos o champagne, ao fim de meia hora de brincadeira, sem álcool devido aos abanões que sofreu e com pessoas já a torcer as pernas para não se mijarem, incluindo eu (desculpem o termo, mas é para perceberem melhor a situação)… no final a fraternidade de Laleia regressou a casa e nós ficamos a lavar os pratos, que remédio… :D

 

Não me alongo mais neste post. Só vos tenho a dizer que quase todas as semanas conheço gente nova em Timor e sempre com projectos interessantes. Só para terem uma ideia, só hoje comecei a desenvolver dois projectos que se forem para a frente vão ser fantásticos. Um é a criação dum canto de leitura, onde os participantes lerão um texto sobre questões sociais e trocarão ideias com os outros participantes. A ideia é fazê-lo no instituto onde estudo. O outro será uma cooperação entre o meu instituto e a faculdade de filosofia da Universidade Nacional de Timor-leste para criar ou seminários de filosofia ou jornadas de filosofia. A ideia ainda só foi falada por telemóvel, mas para já está a ter boa recepção. Rezem comigo para que dê certo, seria fantástico e muito proveitoso.

 

Paz e bem amiguinhos! Estaremos juntos na oração e no coração! {#emotions_dlg.heart}

Autoria e outros dados (tags, etc)

por missao em timor às 15:01

Domingo, 20.10.13

E já lá vão 28...

A minha mãe ligou-me para o telemóvel e disse-me: “Filhinho querido muito amado da mamã (os meus irmãos podem desmentir, por ciúmes, mas ela disse-me mesmo isto) não dá para falarmos pela internet?” “Dá, podemos usar o skype e, como ambos temos webcams, até nos conseguimos ver um ao outro, mas vocês têm de se pôr on-line, senão não consigo fazer a chamada”. E a minha família pôs-se toda em fila indiana… (on-line = em linha). {#emotions_dlg.lol}

Passemos a coisas mais sérias. Continuando a minha aventura, depois do aniversário do frei Isidóros não houve mais nenhuma actividade extraordinário, apesar do mês de Maio ter sido um mês bem preenchido. As actividades foram muito idênticas com procissões em honra de Nossa Senhora todas as segundas, quartas e sextas fazendo a imagem circular todos os bairros. Celebrava-se a missa no bairro onde se encontrava a imagem de Nossa Senhora e seguia-se a procissão para o bairro seguinte onde a população local, depois de receber Nossa Senhora com toda a pompa e circunstância, nos oferecia um lanche/convívio. Destaco apenas o dia 13 de Maio, que sendo o dia comemorativo da 1ª aparição de Nossa Senhora em Fátima, contou com a representação da Irmã Lúcia, Jacinta e Francisco por três criancinhas vestidas a rigor.

Chegamos assim ao mês de Junho, um mês especial para mim. Este mês começou logo com um retiro, o que me começou a atrapalhar um pouco. Fazia anos dia 2 (28 aninhos) e não iria poder estar em casa para poder falar com a minha família pelo Skype (eles já sabem o que é estar on-line), a única solução seria o telemóvel. Chegados ao local do retiro, em Maubara, na casa das Irmãs Carmelitas, comecei a ver cada vez mais patente o pesadelo de um aniversário sem comunicação com a família, NÃO HAVIA REDE no telemóvel naquele local{#emotions_dlg.tlm}. Sem telemóvel e sem internet a comunicação seria impossível, a única solução seria esperar que o retiro acabasse e ligar eu para a minha mãe, coisa que não queria, porque as chamadas são caras… Desligado de todas as comunicações aproveitei o retiro não só para aprender mais sobre o Catecismo da Igreja Católica, mas também para perceber como o poderia aplicar melhor na minha vida. Nos intervalos do retiro não se falava de outra coisa senão no meu aniversário e como o iriamos comemorar assim que chegássemos a casa. Para surpresa minha, no dia 2 de manhã (Domingo), as irmãs prepararam-me um bolo muito gostoso para me cantarem os parabéns. Mas o melhor ainda estaria para vir, assim que terminamos o retiro fomos logo embora, sem perder tempo (e eu já aliviado, porque sabia que assim que chegasse à estrada principal iria ter rede no tlm) mas, 5min depois de chegarmos à estrada, o frei Isidóros parou o carro e desligou-o. Pensei que se tivesse esquecido de alguma coisa. Perguntei-lhe o que se passava e ele respondeu-me “Não é hoje o teu aniversário?” “Sim”, respondo eu, “Não é teu desejo dares um mergulho nos mares timorenses?” “sim” e tirando as calças disse “então vamos todos à praia dar um mergulho…” Não hesitei, mesmo sem calções de banho (fui com os de ganga que estava a usar no momento) fui a correr para a praia dar um mergulho, mas comecei a arrepender-me assim que comecei a entrar na água. Não que ela estivesse fria, pelo contrário, nunca tinha entrado em água tão quente, mas é que no fundo do mar não havia areia, como em Portugal, só rochas e precisei andar muito para que a água me chegasse à cintura para poder mergulhar em segurança (culpa também dos meus 3metros de altura, claro)… Foi a melhor prenda de anos que me podiam ter dado. Dou mais valor aos gestos que às prendas em si (apesar de também valorizar as prendas, claro) e este gesto foi muito significativo para mim, porque neste dia, apesar de estarmos todos cheios de vontade de regressar a casa, o frei Isidóros fez questão de realizar o meu desejo pessoal… {#emotions_dlg.happy} Desde este dia que, sempre que saímos em fraternidade, é para uma praia que vamos.

Tive que desligar e voltar a ligar o telemóvel para voltar a ter rede (estúpido telemóvel) e foi quando recebi a minha primeira (e única) mensagem de parabéns. Era a Sister Rose a desejar-me felicidades e a dizer que, apesar de eu não ter estado presente na missa, o frei Fernando fez questão de mencionar que hoje era o meu aniversário e toda a comunidade rezou por mim (graças a isso andei duas semanas a receber os parabéns {#emotions_dlg.smile}). Aos meus amigos no fb, apesar de ter prometido que ia responder a todos, ao fim de 2meses a tentar desisti (eram mais de 300 mensagens)… a net é muito lenta e muito cara também… vocês compreendem. Entretanto consegui falar com a minha família, não me lembro é dos pormenores da chamada, mas lembro-me que me cantaram os parabéns. Mas de uma coisa me lembro, o meu irmão não me ligou, mas não fiquei triste, porque sei que não fez de propósito, ele é distraído por natureza {#emotions_dlg.blink}

À noite, durante o jantar, a fraternidade celebrou o meu aniversário com direito a convidado(a) especial, a irmã São, das irmãs concepcionistas ao serviço dos pobres que apareceu por lá de tarde para combinar a ida a Liquiçá para uma vigília de oração e adoração ao Santíssimo Sacramento e ficou para jantar. A festa decorreu segundo o protocolo timorense, com direito a discurso e brinde. É muito bom e especial poder celebrar o nosso aniversário em família. Obrigado a todos os que se lembraram de mim, mesmo que não me tenham dado os parabéns, como o meu irmão {#emotions_dlg.happy}

Estou de férias da faculdade, o que significa que terei um pouco mais de tempo para escrever o blog e colocar as histórias em dia. Espero que consiga {#emotions_dlg.smile}

Paz e bem amiguinhos! Estaremos juntos na oração e no coração. {#emotions_dlg.heart}

Autoria e outros dados (tags, etc)

por missao em timor às 08:18

Quinta-feira, 12.09.13

Frei Isidóros Cup

Olá amiguinhos! O meu professor de introdução à economia (apesar de estar a fazer o curso de filosofia-teologia, também tenho duas cadeiras de economia) dividiu a turma em 6 grupos e pediu-nos para fazermos um trabalho temático para depois o apresentarmos à turma. E esta semana começaram as apresentações. Nunca vi uma apresentação tão formal. Primeiro colocaram cadeiras para todos, atrás da secretária do professor, de seguida começaram a apresentação. Havia um moderador que indicou a ordem de apresentação do tema e qual o respectivo orador para esse tema, seguiu-se a temática do trabalho e, por fim, em que língua (neste caso línguas, decidiram apresentar em Tétum e Inglês) iria ser apresentado o trabalho. E como se isto já não fosse suficiente para achar a cena caricata (estamos a falar de uma simples apresentação à turma e não da defesa de uma tese) cada orador começava a apresentação com “Obrigado frater Domingos (o moderador) e à turma pelo tempo que me concedem para apresentar o meu tema…”. Fiquei tão surpreendido com tanta formalidade que estou assustado quando for a minha vez de apresentar… Acho que vou quebrar todos os protocolos timorenses… {#emotions_dlg.bunny}

Continuando a minha aventura, como no dia 9 de Maio o frei Isidóros faz anos e, como quando um frade faz anos costumam-se juntar as duas fraternidades de Timor, era preciso alguém ir a Laleia, no dia 8, buscar os postulantes (o frei Maximiliano viria só no dia seguinte depois da missa e o frei Filipe está em Portugal), essa tarefa coube-me a mim. Logo a seguir ao almoço peguei no carro e lá fui eu todo contente, sozinho mas não solitário (tinha os web10 da Mega Hits, que tirei da net quando ainda estava a morar em Laleia, para me acompanhar). O caminho não é difícil, só tenho que virar duas vezes, uma perto da residência do Presidente da República e outra em Hera. Se a última é fácil de saber quando tenho de virar, porque não há mais caminho em frente, a segunda requer um pouco mais de atenção. A única referência é um pilar no meio da estrada, já em cima da curva. E lá fui eu todo contente, a ouvir boa música e sempre atento à procura do tal pilar quando começo a achar que já tinha andado mais do que devia, mas como ainda não tinha visto o tal pilar e também não podia fazer inversão de marcha, porque a estrada é apertada (mal cabem dois carros) e com pouca visibilidade, só me restava continuar. O meu instinto estava certo, 10min depois chego a Cristo Rei e ao consequente final da estrada. Dei a volta (aqui já é possível) e lá voltei para trás com a atenção redobrada, porque a hora já estava a apertar. Encontrei o tal desvio e continuei a viagem mais tranquilo. A viagem durou-me cerca de 3horas. Não fui muito acelerado para poder evitar os buracos que afinal já tinham sido todos tapados. Cheguei a Laleia por volta das 17h. Relaxei por lá um pouco, tomei um café e umas bolachas e voltei à estrada acompanhado pelos postulantes. Eles eram cerca de 7. 3 Foram dentro do carro comigo e 4 foram atrás. Coitados dos que foram atrás, depois de saber que a estrada não tinha mais buracos aproveitei para acelerar, também porque queria chegar a casa à hora do jantar. Curva para a esquerda, curva para a direita, o carro sempre entre os 80Km/h e os 100km/h (à excepção de quando a curva era mais apertada, aí reduzia bastante) até que um dos rapazes pede para parar o carro, porque se estava a sentir mal. Parei o carro, esperamos um pouco para que o estômago dele se acalmasse e voltamos à carga. A partir daqui foi sempre directo até Tibar, sem parar. Eram cerca das 19:45h quando chegamos a casa, mesmo a tempo do jantar, e qual não foi o meu espanto quando olho para o carro e vejo a traseira toda suja de vomitado. Perguntei-lhes porque não me avisaram que estavam mal dispostos para eu parar o carro, eles disseram que tinham avisado, mas que provavelmente eu não teria ouvido… E realmente foi o que aconteceu. Como tinha o rádio ligado (tava sem bateria no tlm para ouvir o web10) não consegui ouvir os avisos dos rapazes… coitados, tive mesmo pena deles… {#emotions_dlg.sidemouth}

No dia seguinte, dia 9, foi o aniversário do frei Isidóros. Ele presidiu à celebração da Eucaristia, dando graças a Deus pelo dom da vida e por tudo o que Deus lhe tem oferecido. Durante a manhã os postulantes ficaram a preparar o grande almoço de festa enquanto nós, os pós-noviços, fomos para as aulas. Não faltou nada, a mesa estava recheada de coisas boas, muito arroz, Super Mi (uma massa esparguete feita em 2min muito boa,) vinho tinto, Martini e vinho do Porto (a minha perdição). No final da refeição cantamos os parabéns seguido do grande brinde, do partir do bolo e dos indispensáveis discursos. 

Como é óbvio, a festa não ficou por aqui, com tantos jovens numa casa, um campo de futebol só para nós e uma tarde livre só poderia resultar num jogo de futebol. Era a FREI ISIDÓROS CUP e seria disputado pelas duas melhores equipas de Timor-Leste, O Futebol Clube do Porto de Tíbar e o Sport Lisboa e Benfica de Laleia.

As equipas sobem ao relvado, tira-se a foto de apresentação e os jogadores cumprimentam-se em sinal de fair play (que realmente existiu, não houve registo de uma única falta, eu encarreguei-me de colocar uma venda nos olhos do árbitro).

As esquipas já estão constituídas, por parte do Futebol Clube do Porto de Tíbar: Na baliza Helton Tinoco (o único com a camisola do FCP), na defesa Fernando Alberto Otamentdi (2º em cima a contar da esquerda) e Manuel Maicon (3º em cima a contar da esquerda), no meio campo Fernando Nicolau (1º em cima a contar da esquerda) e João Agostinho Moutinho (4º em cima a contar da esquerda) e no ataque James Jesuíno Rodriguez (6º em cima a contar da esquerda) e Jackson Isidóros Martinez (Chegou atrasado ao jogo, porque estava a tratar do processo de renovação do contracto); Por parte do Sport Lisboa e Benfica de Laleia: Guarda-redes: Jeremias Artur (2º em baixo a contar da esquerda), na defesa: Jerónimo Luisão (4º em baixo a contar da esquerda) e Moisés Sidney (6º em baixo a contar da esquerda), No meio campo: Rido Gaitán (5º em baixo a contar da esquerda), no ataque: Sebastião Messi (1º em baixo a contar da esquerda) e Hélio Lima (3º em baixo a contar da esquerda).

Aqui vai o resumo do jogo:

0’ – Tem inicio o grande Derby Porto Vs Benfica. É o Benfica que dá o pontapé de saída.

3’ – Sebastião Messi arranca pelo lado direito, olha para a área, prepara-se para tirar o cruzamento e GOOOOOLLLLOOOOOO!!!!! Jogada inteligente de Sebastião Messi ao aproveitar o adiantamento de Helton Tinoco que se preparava para se antecipar e rematou colocado ao primeiro poste, não deixando qualquer hipótese ao guarda-redes portista. 0-1 para o Benfica e o jogo ainda mal começou.

5’ – Novo ataque na direita por parte de Sebastião Messi. Lance idêntico ao do primeiro golo, mas desta vez Helton Tinoco atento e a deitar a bola para canto.

12’ – Ataque do Porto pelo meio. João Agostinho Moutinho abre o jogo com um passe a rasgar para as costas da defesa, James Jesuíno Rodriguez ganha a bola, mas a não aproveitar o lance e a rematar para fora.

20’ – Ataque do Benfica. Sebastião Messi, desta vez pela esquerda, tira Manuel Maicon do caminho, isola-se, corre na direcção da baliza e… grande intervenção de Helton Tinoco a sair-se muito bem aos pés de Sebastião Messi e a roubar-lhe a bola.

22’ – É o Porto no ataque. Fernando Niculau abre na esquerda para João Agostinho Moutinho, ele corre com a bola, segue sem oposição, entra na área, tira um cruzamento rasteiro e GOOOOOLLLLLOOOOOOOO. James Jesuíno Rodriguez a aproveitar da melhor maneira o cruzamento e a restabelecer a igualdade. 1-1 no marcador.

35’ – Substituição. É Jackson Isidóros Martinez que entra em campo, para substituir… ninguém… Parece que ninguém quer sair. E fica o Porto a jogar com mais um… pronto… :P

40’ – Ataque do Porto. É Jackson Isidóros Martinez com a Bola. Ele finta Rido Gaitán, continua a progredir no meio campo, aproxima-se da área, tira Jerónimo Luisão do caminho com grande pormenor técnico, remata forte e colocado e GOOOOOOLLLLLLOOOOOO. É a reviravolta no marcador. 2-1 para o Porto… É o Rapa na rapaqueca…

45’ – Apita o árbitro para o intervalo (que aqui foi mesmo o Fernando Alberto Otamendi, ele é que andou a marcar o tempo com o seu relógio) :P

45’ – Inicia-se o segundo tempo. As equipas mantêm-se inalteradas. Sem mais demoras o Porto passa para o ataque. Fernando Nicolau entrega a bola na direita para James Jesuíno Rodriguez que imediatamente tira o cruzamento, Jackson Isidóros Martinez, na área, recebe a bola de peito, dá meia volta e… à barra… Que grande remate de Jackson Isidóros Martinez no poste superior da baliza encarnada… O lance não para, a bola sobra para João Agostinho Moutinho… remata de primeira com um pontapé artístico e GOOOOOLLLLLOOOOOOO. Bola colocada no ângulo da baliza de Jeremias Artur. 3-1 para o Porto… a vitória já não lhe deve escapar…

50’ – Jogada de insistência de Sebastião Messi, ele segue com a bola pelo meio, tira Fernando Alberto Otamentdi do caminho, entrega na esquerda para Hélio Lima, ele isola-se, entra na área, remata forte colocado e… Grande defesa de Helton Tinoco… é a defesa da noite… Nem o Super-homem conseguia voar tanto como ele voou… Os adeptos benfiquistas nem acreditam, na bancada já se gritava golo… ah espera, estou a ver o jogo errado… aqui não há bancadas nem adeptos… :P

75’ – (Tive que encurtar o resumo do jogo, porque o caché que me deram foi muito reduzido) O Porto já vence por 8-2. Vem novo ataque benfiquista. Depois de dilatada a vantagem e de perceberem que Helton Tinoco consegue travar tudo o que lhe aparece na frente os jogadores do Porto já nem se preocupam em defender… Novamente Sebastião Messi pelo meio, tira Manuel Maicon do caminho, abre na esquerda para Hélio Lima, que apercebendo-se da aproximação de Helton Tinoco, tira o cruzamento para o 2º poste, é Rido Gaitán que aparece isolado para fazer o remate e… incrível defesa de Helton Tinoco… Este jogador não anda, ele voa… num segundo está no 1º poste e logo de seguida já está no 2º poste a fazer mais uma brilhante defesa… Melhor guarda-redes do mundo, com certeza…

85’ – 2ª substituição do jogo. Manuel Maicon troca de posição com Helton Tinoco. O primeiro recua para a baliza e o segundo sobe no terreno para lateral esquedo.

89’ – O jogo já se aproxima do fim. É o Benfica no ataque. Sebastião Messi arranca pelo lado direito, aproxima-se da área, Helton Tinoco aproxima-se Sebastião Messi parte para finta, Helton Tinoco mete o pé à bola e grande desarme de Helton Tinoco, de meter inveja até mesmo a Puyol. Entrega já no meio para Fernando Alberto Otamendi, vê a desmarcação na direita de João Agostinho Moutinho, ele recebe a bola, olha para a área, vê Helton Tinoco a entrar na área à velocidade da luz, João Agostinho Moutinho cruza para a área, Helton Tinoco antecipa-se a Moisés Sidney, estica a sua perna de 3metros e meio, desvia, com um ligeiro toque, a bola de Jeremias Artur e GOOOOOOLLLLLLLOOOOOOO. Incrível este jogador. O melhor em campo… Não só brilhou na baliza evitando que a sua equipa sofresse mais de 10 golos, como de seguida dá uma arrancada pela esquerda, de área a área, para restabelecer o resultado final. 9-2 para o Futebol Clube do Porto de Laleia na melhor partida de futebol alguma vez realizada…

90’ – O árbitro, ou melhor, Fernando Alberto Otamenti, dá por terminada a partida. O Porto vence por 9-2 e sagra-se campeão franciscano da taça FREI ISIDÓROS CUP. {#emotions_dlg.portugal}

Amiguinhos foi realmente assim que aconteceu, não estou a exagerar… :P Eu sei que podem dizer “Ah e tal, mas vocês jogaram quase todo o jogo com mais um”. Está certo, mas o Benfica tinha o Messi… Ainda pensei em convidar o Cristiano Ronaldo, mas não quis que o Messi ficasse intimidado com a sua presença… {#emotions_dlg.blink}

Paz e bem amiguinhos! Estaremos juntos na oração e no coração. {#emotions_dlg.heart}

Autoria e outros dados (tags, etc)

por missao em timor às 08:44


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2016

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Contador de visitas




Posts mais comentados



Links

Blogs sobre missões

Frades Menores Capuchinhos


Facebook