Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Missão em Timor

Durante 3 anos estarei a fazer uma missão em Timor, pela Ordem dos frades menores capuchinhos, e neste blog tenciono contar todas as minhas aventuras e a percepção que vou tendo dos acontecimentos, tudo de uma forma peculiar que só eu sei viver :D



Domingo, 06.01.13

A grande noite de Natal.

Olá amiguinhos! Continuando a minha aventura, depois de ter passado uma semana às voltas em Dili consegui regressar a Laleia. A minha grande preocupação era o presépio que tinha começado a construir. Como ele estaria? Será que ainda estava de pé? Durante a viagem ninguém me respondeu directamente à pergunta, só me faziam cara feia quando perguntava se ainda estava de pé… Fiquei chocado quando cheguei em frente da minha construção. Ainda estava de pé, mas as folhas de palmeira que cobriam o exterior estavam horrivelmente secas e as folhas de papaieira que cobriam o chão estavam mais enrugadas que a pele de um idoso de 90anos, nem os pilings da Lili Caneças chegariam para esticar uma única folha… Fiquei desanimado e com vontade de destruir tudo, mas como já tinha as imagens quase todas desenhadas decidi não desistir e pensar noutra forma de dar vida ao presépio… No dia 15 de Dezembro começaram os preparativos para a celebração da tomada de posse do novo pároco da Paróquia de Laleia, o frei Hermano Filipe. A festa seria em grande, com missa campal e um convidado ilustre, o Bispo de Baucau D. Basílio Nascimento. Era quase toda a paróquia a trabalhar, uns ensaiavam os cânticos, outros preparavam os enfeites do altar, outros ensinavam os acólitos e nós (os pós-noviços) limpávamos a casa de alto a baixo, não podia haver uma nesga de pó, tinha que estar tudo branquinho :D De noite ainda ajudamos a preparar as mesas e as cadeiras para o almoço. O trabalho foi tanto que houve quem saísse de lá já depois da meia-noite… O dia seguinte foi em grande, a missa estava marcada para as 10h e o Bispo, como homem muito pontual que é, chegou às 10:20h… Grande solenidade na missa, inicialmente presidida pelo frei Fernando (antigo pároco) e, depois da tomada de posse, presidida pelo frei Hermano. O local estava cheio, toda a população queria estar presente para receber o novo pároco de braços abertos. Ao contrário do que se esperava, a missa nem foi assim muito longa… :D O tão esperado almoço chegou (estávamos mesmo cheios de fome) e digo-vos uma coisa, o povo timorense pode ser um povo com apenas 10anos de independência, mas não há ninguém melhor que eles a organizarem festas e a receberam convidados, se montassem uma empresa de Catering seriam a melhor empresa do mundo, a sério. Duas mesas repletas de comida e bebidas, uma mesa lateral com sobremesas e uma mesa central com champagne e um grande bolo a desejar as boas-vindas ao novo pároco. No final da refeição, os vários grupos constituintes da paróquia (Os carismáticos, os catequistas, a catequese, os grupos corais, etc…) foram um a um despedir-se do antigo pároco e dar as boas-vindas ao novo, entregando-lhes uma prenda simbólica, um Tais que é um pano característico da terra… Os grupos eram tantos e as predas também que a certa altura já não se viam as cabeças dos freis Fernando e Hermano… :D No final o Bispo autorizou que, durante a noite, se dançasse o Tebe dai, a dança típica dos timorenses (Ver post “Ita ba dança?”), mas infelizmente a companhia electrica de Timor-Leste não foi da mesma opinião e cortou a luz nessa noite… :( Felizmente que no domingo a seguir a luz não falhou e assim eu, o Pedro e o Camilo pudemos ficar a tarde toda a viciar-nos no computador a jogar PES13… coisa de homens… :D A semana seguinte já foi bem mais calma e com o pensamento no último domingo antes do Natal e, claro, no respectivo Natal. Eu pessoalmente só pensava o que iria fazer para que o presépio ficasse bonito… Decidi retirar todas as folhas que tinham murchado, retirar também alguns paus que estavam a mais, de forma a torna-lo mais simples, e, apesar de ser só a única imagem que estava completa nessa altura, coloquei lá Nossa Senhora e uma lâmpada, para que ela não ficasse às escuras durante a noite… :D Nessa semana a luz falhou constantemente, o que me dificultou o trabalho, pois precisava dela para desenhar as imagens que faltavam. A meio da semana decidimos, juntamente com alguns missionários do LCM, ir buscar relva para colocar no chão. Foi uma lufada de ar fresco, finalmente o presépio começava a ganhar vida e cor, mas ainda faltavam terminar duas imagens e já íamos no dia 21… Entretanto S. José ficou concluído e juntou-se a Maria na sua nova casa, mas faltava o menino… Tinha que estar pronto no dia 23, pois sabia que dia 24 não iria ter tempo para nada… o tempo apertava, a luz tardava em aparecer e eu sem poder desenhar… Finalmente a companhia electrica deu-me tréguas e consegui terminar o desenho do Menino Jesus já no final de tarde do dia 23, mas ficou aquém do que esperava e isso refletiu-se na cara do pessoal a quem eu o mostrava… Não tinha tempo para fazer outro, teria mesmo de ser aquele não havia volta a dar… e assim foi, com a magia dos lápis-de-cor consegui fazer com que o menino ficasse mais agradável de se ver, valeu a pena o esforço… :D Chegou a véspera de Natal e a calma reinava na casa, nem parecia que nessa noite iria nascer o Menino Jesus. A manhã foi passada nas limpezas, tudo tinha que estar a brilhar, não podia falhar nada. Durante a tarde foi a azáfama total para preparar a minha comida favorita bacalhau (para quem não conhece o meus gostos estou a ser irónico). Fartos de comer bacalhau cozido (eu não porque nunca comi, graças a Deus) decidiram fazer bacalhau assado com batatas assadas… Realmente o jantar contou com o bacalhau assado (para mim foi frango frito, isto sim eu gosto), já com as batatas assadas pelo Pedro… O jantar começou e as batatas ainda iam no forno, o Pedro bem se justificava “Está quase, mais um bocadinho” e o jantar lá se desenrolava com muita harmonia, risos e muita alegria, as batatas é que nunca mais apareciam. Volta e meia o Pedro lá ia à cozinha ver as batatas e, enquanto o pessoal esperava o regresso dele cheio de expectativa, lá trazia ele nas mãos uma desilusão vazia… as batatas ainda continuavam no forno… e nós continuávamos a comer… e assim foi até que terminou o jantar sem as tão aguardadas batatas assadas do Pedro… Acabamos por comê-las no almoço do dia seguinte, mas ao menos vinham quentinhas e saborosas… :D às 22h tivemos a missa do galo e no final uma petiscada e convívio com os paroquianos que ao longo do ano foram contribuindo para o desenvolvimento e desenrolar da Paróquia de Nossa Senhora de Laleia. Como o texto já vai muito longo, vou deixar as próximas semanas para o próximo post. PS: Se não viram ou não conhecem a série de televisão americana Supernatural então é melhor começarem a ver, têm acontecido coisas estranhas nesta casa… Paz e bem amiguinhos! Estamos juntos na oração e no coração!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por missao em timor às 13:42


2 comentários

De jesus valente Oliveira a 06.01.2013 às 14:33

Gostei e continuarei a ler a sua história de vida aí em Timor,
Andou por lá não é verade? A Missão é isso mesmo não ter sitio certo.Diga lá como foi o Natal esztou com suspense.Bom Ano para a vossa Missão.E vá dando noticias.O tempo vai passando Beijão

De missao em timor a 06.01.2013 às 14:44

Eu continuo aqui em Timor D. Jesus Valente Oliveira e vou ficar cá pelo menos 3 anos :D
O Natal foi o mais puro que já vivi, só tinhas duas coisas em mente, celebrar o nascimento de Jesus e estarmos juntos como uma grande familia alegre e feliz :D

Obrigado por acompanhar o meu blog. beijos!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2013

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Contador de visitas






Links

Blogs sobre missões

Frades Menores Capuchinhos


Facebook