Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Missão em Timor

Durante 3 anos estarei a fazer uma missão em Timor, pela Ordem dos frades menores capuchinhos, e neste blog tenciono contar todas as minhas aventuras e a percepção que vou tendo dos acontecimentos, tudo de uma forma peculiar que só eu sei viver :D



Sábado, 03.11.12

Angry birds

Olá amiguinhos, se quando estava no Porto o sábado era aproveitado para jogar futebol, aqui é para “passear”, ou seja, visitar as aldeias que estão situadas no meio das montanhas onde a única forma de se lá chegar é a pé. A viagem até que começou bem, apesar das dores musculares que sentia. Fui eu a levar o carro e, para não cair no erro da última viagem, não passei dos 50km/h, mesmo nas grandes rectas. Quando estacionei o carro um Senhor veio logo ter comigo a dizer que tinha feito algo perigoso (Estas acusações já começam a ser comuns) e mostrou-me como estava a parte de baixo da pequena ponte que tinha atravessado. Tinha desabado grande parte do suporte da ponte, foi realmente um grande risco tê-la atravessado, mas eu não sabia… {#emotions_dlg.happy}
Comecei a caminhada, acompanhado por três frades e dois leigos. Custou a começar, mas depois os músculos aqueceram e já nem sentia as dores. Desta vez o caminho não era de pedras grandes e soltas, mas feito de erva, ou algo parecido… bem mais suave :D

Paramos a meio do caminho onde havia uma árvore de mangas. Aqui existem árvores de fruto que não foram plantadas por ninguém. Todos os anos a água, no tempo das chuvas, muda de rota e, o que no ano anterior era um riacho, depois da mudança do curso da água, a terra seca e crescem árvores e algumas são de frutos, como o caso desta. Paramos para colher algumas mangas para comer pelo caminho. Eu dei aso à minha altura para segurar alguns ramos e arrancar a fruta, enquanto outros usavam uma fisga. Ao olhar para a fisga não resisti e também quis experimentar. Pego na pedra, puxo o elástico, faço mira e… poff, a pedra cai uns centímetros à minha frente… Não desisti e voltei à carga e… poff, uns centímetros mais à frente, mas longe de acertar nas mangas… desisti e voltei à caminhada. Mais à frente decidimos parar para descansar e foi quando decidi treinar o meu tiro com a fisga… Agora sim, valeu a pena as horas que passo a jogar angry birds no telemóvel, grande pontaria e a longa distância… {#emotions_dlg.happy}

Eu não sei quanto tempo andei, mas deve ter sido mais de 3horas… Nunca me cansei tanto a andar como neste dia, mas consegui chegar à aldeia. A visita às aldeias consiste em estar um pouco com a população e celebrar lá a Eucaristia.

Se na ida a minha cabeça estorricou com o calor, no regresso vim acompanhado de trovões e ameaça de chuva. Felizmente não passou de ameaça, algo que á me venho habituando… {#emotions_dlg.happy}

Se na ida atravessar riachos era a melhor coisa que podia fazer, a água era fresquinha, no regresso foi o contrário. Apesar do céu ameaçar chuva, o calor era imenso e a água era tão quente que nos queimava os pés. Eu acho que se metesse um ovo dentro de água ele cozia… {#emotions_dlg.sol}

Fui a um velório no domingo passado (28 Outubro), quer dizer, não fui propriamente ao velório, fui ao almoço. Cheguei a casa da família da falecida e o ambiente era típico de um funeral, os homens a jogar cartas e as mulheres na conversa ou a preparar o almoço. Dentro de casa a sala de estar estava praticamente vazia, só tinha lá o caixão apoiado em algumas cadeiras. O almoço foi em grande, parecia um casamento… tudo animado e no final mais uma partida de cartas. Homens de um lado mulheres do outro, sem misturas. Aliás, aqui os homens e as mulheres fazem tudo em separado, só não sei é como têm filhos… {#emotions_dlg.lol}

No final o Padre fez a encomendação da defunta e a família dirigiu-se para o cemitério.

Esta semana tivemos as festas de todos os santos (1Novembro) e a festa dos fiéis defuntos (2Novembro), ambos feriados em Timor, tomem… aqui é que é bom… Tudo é desculpa para ser feriado. Apesar da grande população, se não toda mesmo, ser católica até os feriados muçulmanos são vividos cá (e aqui não há muçulmanos) {#emotions_dlg.tongue} O “diferente” destes dias foi no dia 2. As pessoas vêm assistir à missa, até vem mais gente que o comum, e todas as famílias trazem grandes quantidades de flores para serem abençoadas na missa e, no final, serem levadas para o cemitério para enfeitar as campas dos familiares falecidos. Eu ainda não conheci o cemitério, porque ainda não morreu nenhum frade em Timor, serei eu o primeiro? Quem sabe… Estou a brincar… {#emotions_dlg.dork}

Ontem, na conversa durante o jantar disseram-me que virão para cá mais 3 missionários leigos. Chegam a Timor dia 10 Novembro. Vai ser muito bom, não só para eles como para a população timorense. É fantástico receber notícias destas, agora resta-nos rezar para que tudo lhes corra bem e que a missão que eles vêm cá fazer seja frutífera. {#emotions_dlg.happy}

Paz e bem amiguinhos! Estaremos juntos na oração e no coração!{#emotions_dlg.heart}

Autoria e outros dados (tags, etc)

por missao em timor às 04:15



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Contador de visitas






Links

Blogs sobre missões

Frades Menores Capuchinhos


Facebook